ESPECIAL: 10 anos de Tomb Raider: Legend e Crystal Dynamics - Lara Croft BR
#TombRaider20 Blog

ESPECIAL: 10 anos de Tomb Raider: Legend e Crystal Dynamics

10 anos de Tomb Raider: Legend

Muitos de vocês não devem se lembrar, mas abril deste ano foi marcado pelos 10 anos do lançamento do primeiro jogo da saga Tomb Raider desenvolvido pela Crystal Dynamics, o divisor de águas: Legend. A Crystal trabalhou ao lado de Toby Gard (o criador de Lara, que havia saído da produção após o primeiro Tomb Raider) e a intenção deles era fazer um reboot do jogo após o fracasso de The Angel of Darkness. A produção do jogo começou em 2004 logo após a Eidos transferir os direitos de produção da Core Design para a Crystal.

Antes de ser lançado, o jogo passou por diversas e grandes mudanças que puderam ser notadas em toda campanha de marketing ao longo das convenções e revistas de jogos. Para celebrar os 10 anos de Tomb Raider: Legend e iniciar a primeira parte da nossa celebração aos 20 anos da saga Tomb Raider, o Lara Croft Brasil resolveu reunir em um único lugar todas as informações relevantes possíveis de entrevistas da época, com várias imagens e vídeos das versões alfa e beta do jogo.

Vamos do começo…

De acordo com um rumor da época antes do Legend ser anunciado, o jogo se chamaria “Tomb Raider: Forest of Crows” (Floresta de Corvos).

O modelo gráfico de Lara foi baseado no de The Angel of Darkness. Como é possível observar nessas concept arts do início da produção do Legend, eles até iriam usar exatamente o mesmo modelo, só que melhorado para a nova geração (é possível encontrar também este mesmo modelo escondido debaixo de uma parte na fase do Peru por meio de glitches).

Algumas locações dessas concept arts foram apenas ideias, não acabaram nem entrando em pré-desenvolvimento.

A fase deletada… Rainforest.

De acordo com algumas imagens, o Legend teria mais uma fase (possivelmente no México) e que foi cortada justamente porque tornaria o jogo focado demais na América Latina/América do Sul, uma vez que já haviam Bolívia e Peru. Entretanto, isso não significa que haveria uma fase extra, porque a exclusão de Rainforest originou a criação da fase do Cazaquistão, tornando assim o jogo mais diversificado. De qualquer forma, o México acabou aparecendo em Underworld.

A Croft Manor também não escapou de alguns cortes… de acordo com entrevistas dadas na época, a intenção era fazer com que a parte do jardim da mansão também fosse jogável. A imagem com pouca qualidade abaixo mostra Lara na parte de fora da mansão, comprovando que a intenção dos desenvolvedores era exatamente essa, mas devido aos limites do motor gráfico na época isso não seria possível sem a inserção de telas de loading, que não era o que os desenvolvedores desejavam. Inclusive, esse é o motivo de haver corredores tão longos conectando as diversas partes da mansão – eles servem como loadings.

1

As primeiras diferenças notáveis em Lara são três garrafas de água que ficariam nas costas dela, duas presas à mochila e a outra presa ao cinto do lado de mais um item removido: as granadas de fumaça. Lara continuaria também com a trança no cabelo (que depois foi substituído pelo rabo-de-cavalo).

Em muitos vídeos divulgados durante a campanha de marketing é possível notar a tamanha diferença em relação ao produto final. No quesito armas, ela teria um Rocket Launcher (lança-foguetes) que foi removido por ocasionar muitos bugs (mas que pode ser acessado no jogo por meio de uma ferramenta debug). Lara também teria um Revólver, mas foi removido igualmente.



Aparentemente seria possível manusear alguns projetores de luz e as turrets (metralhadoras de guerra) tinham uma aparência diferente. É possível notar também que Lara continuaria usando flares (sinalizadores).

Outras diferenças que podem ser notadas (e que foram explicadas em entrevistas):

  • Lara poderia atirar enquanto estivesse agachada (assim como em Underworld).
  • Lara supostamente faria outra perseguição de moto no final da fase na Inglaterra, tendo que salvar Zip e Alister.
  • Na fase do Japão, Lara não usaria uma Ducati e sim outra moto. Haveria ali um pequeno puzzle para levantar a rampa que levaria Lara diretamente para o prédio de Takamoto (e destruindo a moto no processo também), porém isso foi mudado e na versão final temos que dar a volta toda no prédio para chegar lá.
  • Em Gana, o puzzle para revelar o templo era um pouco diferente e a cutscene logo em seguida também, e em Bolívia haveria um puzzle no final da fase (na parte do estrado de pedra), que envolvia girar alguns discos solares.

Algumas imagens e vídeos mostrando grandes diferenças em fases como Gana e Nepal em relação ao produto final.

Por fim, eu vou deixar aqui além de alguns links com scans de revistas, um documentário com Toby Gard feito na época.

Link 1 / Link 2

E essa foi a primeira parte da nossa celebração de 20 anos da saga, pessoal.

Ufa! Deu bastante trabalho achar e juntar tudo isso, mas espero que tenham gostado de todas essas informações acerca das versões alfa e beta do Tomb Raider: Legend reunidas em um só lugar!

E fiquem ligados no site para novos especiais muito interessantes e algumas possíveis surpresas ao longo do ano!


Quer saber mais?

Atualizamos recentemente a nossa galeria do Tomb Raider: Legend com muitíssimas concept arts e storyboards, incluindo várias coisas inéditas! Caso tenha intersse, basta clicar aqui. Para conhecer ou relembrar a trama completa do jogo, você pode conferi-la clicando aqui também.

O conteúdo deste post foi retirado de múltiplas fontes, incluindo fóruns, sites de jogos e fã-sites oficiais.

Comentários

Sobre o autor

Gian Carlo Garzewski

Administrador do Lara Croft BR. Apaixonado por survival horror e aventura, seus vícios além de Tomb Raider e Resident Evil são The Walking Dead e Game of Thrones.

  • Edu Alves

    Esse jogo foi um marco na série, reformulou a personagem muito bem! Espero vê-lo em dispositivos móveis futuramente.